Remember

Pedro Luís Pereira de Sousa

Quando um raio divino esmorecer, Maria,
E as flôres pelo chão caírem sem orvalho,
Tu ouvirás á noite, e longe do ruído,
Um som triste, bem triste, um som como um gemido,
        Dizendo-te - remember!

Has de tremer, Maria, e trêmula, á janela,
Te encostarás, lembrando os dias do passado...
A lua será pálida, e frio como gêlo
Vento triste virá roçar-te no cabelo,
        Murmurando - remember!

Verás a nuvem branca, outrora, em fantasia,
Anjos fóra do céu errantes ao sereno...
No dorso da montanha, em mágoa, desfilarem...
Caravana fatal d'espectros a chorarem,
        Soluçando - remember!

Tu ouvirás ao longe o som de muitas harpas...
São bardos que vagueiam em prantos pela terra, o mar em seu soluço eterno, magoado,
E os sinos a tangerem um canto de finados,
        Repetindo - remember!

Correndo ao teu espelho, dirás, então, Maria,
Que Deus cerrou na campa os lábios do cadáver...
Verás sob a mortalha, ao vento flutuante,
Uma sombra passar no vidro cintilante,
        Suspirando - remember!

Acorda nessa febre o teu Erard sonoro...
Embriaga tua alma, ao som das cavatinas!
Hão de vibrar as cordas num impulso forte,
Como órgão de Deus na catedral da morte,
        Retumbando - remember!
página anterior
página inicial
imprimir este textoenviar por correio eletrônico
# (Anôninos, etc...) a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z
proposta do site | sobre a cultura gótica | créditos | contato
1998/2002 © Carcasse.com | comunidade virtual da arte obscura